Modernização da Linha de Cascais
Linha de Cascais
Ferrovia 2020
  • Mapa
Localização
Concelhos de Lisboa, Oeiras e Cascais.
Extensão
A Linha de Cascais tem uma extensão de 25,45 km que se desenvolve entre Lisboa-Cais do Sodré e Cascais e ao longo do seu percurso tem 17 Estações e Apeadeiros.

Âmbito da Intervenção

Catenária e Energia de Tração - Pretende-se migrar o sistema de eletrificação (catenária) dos atuais 1.500 V DC para 25 kV-50Hz AC, algo que permitirá a poupança de cerca de 50 % do consumo energético.

Sinalização - A instalação de nova sinalização, conjugada com a nova catenária, vai permitir que o operador adquira novos comboios ou possa colocar comboios da restante rede ferroviária Nacional em circulação, retirando do serviço os comboios obsoletos (alguns de 1920).
A adoção do sistema de controlo de velocidade do tipo European Train Control System (ETCS), com Nível 2, irá permitir alcançar os níveis mais elevados de segurança e disponibilidade de canal ferroviário.

Via Férrea - As intervenções na via-férrea nomeadamente a remodelação do layout da estação de Oeiras, o acesso ao Parque de Material de Carcavelos e a instalação de diagonais de passagem à contravias, irão flexibilizar a exploração quer em situações de exploração degradada, quer para permitir a execução de trabalhos de manutenção ou de modernização, e com isso, evitar perder passageiros por diminuição da qualidade e quantidade de comboios.

Telemática Ferroviária - Serão realizados os diversos trabalhos para o Sistema de Telemática Ferroviária na Linha de Cascais, que permita assegurar os níveis de qualidade, segurança e funcionalidade do transporte ferroviário.

Estações e Apeadeiros - As intervenções preconizadas para as Estações e Apeadeiros terão como enfoque não só a melhoria das acessibilidades às plataformas, do conforto, comodidade e qualidade do serviço prestado ao passageiro, mas também o reforço dos índices de segurança e o aumento da eficiência energética das instalações.

Atravessamentos de Nível em Estação/Apeadeiro (ATV) - Para eliminar os constrangimentos e o risco associados a alguns atravessamentos de nível entre plataformas de passageiros, beneficiando a segurança da exploração ferroviária e dos passageiros, bem como a mobilidade, estão previstas intervenções necessárias à supressão de três ATV. Foi dada especial atenção às pessoas com mobilidade condicionada (PMC).

Benefícios

  • Economia de energia, com uma redução de cerca de 1.850 Tep, em 2024, em consequência do aumento da

    eficiência energética na circulação ferroviária (menor consumo de cerca de 46 % de energia);

  • Redução de cerca de 4.960 TonCO2, em 2024, na diminuição anual estimada das emissões de Gases com Efeito de

    Estufa (GEE), dada a previsão de que a melhoria dos serviços ferroviários provoque a transferência de utilizadores do transporte individual para a ferrovia.

Financiamento Comunitário

Financiamento