Inspeção e Diagnóstico

A gestão dos ativos que integram a rede ferroviária é orientada pela otimização do ciclo de vida e conduzida por critérios de sustentabilidade, tendo permanentemente em vista a disponibilização de uma infraestrutura com elevados níveis de fiabilidade, qualidade e segurança.

O modelo de gestão de ativos assenta no conhecimento do estado da infraestrutura e no desenvolvimento da capacidade inspetiva.

A aposta da IP passa pela adequada dotação de recursos humanos, em quantidade e em competências, assim como, em equipamentos tecnologicamente avançados, internos ou contratados, que permitam que a empresa detenha um conhecimento rigoroso do estado da infraestrutura e capacidade de diagnóstico, procurando simultaneamente a autonomia e a capacidade de atuação.

Os grupos de ativos com maior criticidade são alvo de campanhas de inspeção com periodicidade estabelecida em documentação técnica própria, nomeadamente e no caso da rede ferroviária a inspeção à geometria de via-férrea e auscultação ultrassónica do carril, aos aparelhos de mudança de via, inspeção à geometria de catenária e as obras de arte (pontes e túneis).

 

Tendo por base a atividade de inspeção são desenvolvidas ferramentas de gestão de ativos que permitam dar a conhecer o impacto das decisões económicas de curto-prazo, nas vertentes de custo-desempenho-risco a longo prazo, através de:

(a) Metodologias para aferir do estado de condição dos ativos, nível de utilização a que estão sujeitos e momento do ciclo de vida útil em que se encontram

(b) Modelos de gestão diferenciada de acordo com o nível de serviço, ou disponibilidade para a operação, a que o seu desempenho deve corresponder

(c) Identificação das efetivas necessidades de intervenção em função dos níveis de serviço exigidos e ainda, as intervenções mais adequadas executar, o momento do ciclo de vida útil do ativo e o respetivo impacto no seu desempenho

(d) Identificação dos riscos associados às decisões de não executar as intervenções indicadas no momento certo

(e) Planeamento, com uma visão a 20 anos, analisando cenários de custo aferindo o correspondente risco e desempenho, assim como o passivo de renovação resultante

Os resultados obtidos pelos atuais sistemas de gestão existentes na empresa, conduzem a atuações preventivas em detrimento de intervenções reativas, caracterizadas por um maior risco, maior disrupção nas redes bem como investimentos mais avultados.

Terceiro Conteudo

Geometria de Via-férrea e Auscultação Ultrassónica de Carril

A atividade de inspeção principal de via considera dados obtidos a partir dos sistemas de inspeção instalados no veículo “EM120”. Estes dados são complementados com outros, obtidos com equipamentos ligeiros, como o “KRAB” nas situações em que não se pode ou não se justifica recorrer ao “EM120”, das quais são exemplo a inspeção a linhas de via estreita ou a pequenos troços isolados de via larga da RFN.

Em termos de campanhas de inspeção realizam-se duas campanhas semestrais a toda a RFN em exploração (campanhas à rede geral), alternadas com duas outras, também de frequência semestral, designadas por campanhas intercalares. Desta forma, a RFN abrangida pelas campanhas intercalares tem periodicidade de inspeção trimestral.

Integrada na inspeção principal de via é normalmente assegurada, com periodicidade anual, uma campanha de auscultação ultrassónica de carril, em contínuo e com recurso a veículo pesado, em parte significativa das linhas gerais de via larga, que constituem a RFN em exploração.

  • GEO 3

Aparelhos de Via

A Inspeção Principal base a Aparelhos de Via (AV) consiste na avaliação detalhada da condição geral e estado dos seus componentes constituintes. Das visitas periódicas fazem parte um conjunto de verificações dimensionais a uma vasta variedade de parâmetros de salvaguarda e funcionais que, por confronto com as tolerâncias admissíveis preconizadas em normativo técnico e boas práticas de manutenção, permitem garantir a segurança das circulações e o bom funcionamento operacional dos equipamentos.

Para além dos instrumentos metrológicos e ferramentas de uso mais comum as equipas de Inspeção Principal dispõem atualmente de equipamentos de medição de bitola, escala e cotas trolley de inspeção em contínuo de geometria de via e um equipamento laser portátil de medição de perfis transversais de carril e peças nobres.

O roteiro de inspeção tem periodicidades semestrais, anuais e bienais consoante o local da Rede Ferroviária Nacional e velocidade, resultando na realização média de aproximadamente 4500 inspeções por ano.

  • AV2
  • AV3
  • AV1

Catenária

A atividade de inspeção principal de catenária considera dados obtidos em contínuo a partir dos sistemas de inspeção instalados no veículo "EM120". Estes dados são complementados com outros, obtidos de forma pontual, com equipamentos ligeiros, como o MEDCAT.​​​​​

Obras de Arte

A Infraestruturas de Portugal é atualmente a principal empresa na área da engenharia em Portugal constituindo-se com uma referência também a nível internacional no domínio da gestão e inspeção de Obras de Arte.

A periodicidade de realização das inspeções principais está associada às necessidades de vigilância das Obras de Arte. Consoante a periodicidade estabelecida, assim são programadas e realizadas as campanhas anuais de inspeções. As Inspeções Principais na rede ferroviária estão associadas preferencialmente a percursos e especificamente a linhas e ramais.

A Infraestruturas de Portugal tem consolidada uma equipa interna de Inspeções Subaquáticas, atividade que compreende o mergulho para observação, registo videográfico e levantamento das anomalias da parte submersa, bem como a realização de levantamentos topo-batimétricos, para obter as cotas do fundo do leito e a topografia das margens.

Como ferramenta de suporte à gestão, a IP detém um Sistema de Gestão de Obras de Arte (SGOA), essencial para o conhecimento pormenorizado e permanente das Obras de Arte e sua condição estrutural. O SGOA incorpora um vasto conjunto de informação recolhida através das atividades periódicas de inspeção, permitindo a deteção antecipada das necessidades de intervenção e a atempada resposta no reforço e reabilitação das Obras de Arte.

Esta metodologia de gestão, aliada à vasta experiência e conhecimento técnico das equipas da empresa, tem permitido garantir uma contínua melhoria do estado de conservação do parque de Obras de Arte da IP.

  • Obras de Arte
  • Inspeção Obras de Artes com cordoas
  • Inspeção Obras de Artes com cordas