Internacional

O Grupo IP é ativo internacionalmente num conjunto de organizações técnico-políticas europeias ou de âmbito mundial, bem como de cariz operacional e normativo, assumindo regularmente funções de relevo, como é o caso, presentemente, da Presidência da Região Europa da União Internacional dos Caminhos-de-Ferro (UIC), e participando no desenvolvimento de soluções técnicas, operacionais, normativas e inovadoras para o sector dos transportes rodoviários e ferroviários, em particular, e da mobilidade, em geral.

Envolvimento Internacional

 

EIM - European Rail Infrastructure Managers

Fundada em 2002, esta associação de lobby integra gestores europeus de infraestruturas ferroviária, representando os interesses de gestores de infraestruturas independentes, contribuindo para o desenvolvimento da Política Europeia de Transportes e da legislação comunitária aplicável ao setor ferroviário. Foi mandatada pela Comissão Europeia, desde 2005, para disponibilizar peritos para os Grupos de Trabalho da Agência Ferroviária Europeia, responsáveis pela interoperabilidade técnica e a segurança do transporte ferroviário na Europa.

Os EIM pretendem contribuir para o desenvolvimento da Política Europeia de Transportes e assegurar que a legislação comunitária proporcione:

  • A utilização eficiente da infraestrutura existente e o desenvolvimento de novas infraestruturas;

  • A implementação eficiente, económica e apropriada do processo da interoperabilidade;

  • A gestão da segurança ferroviária;

  • O desenvolvimento de novas infraestruturas;

  • A satisfação das necessidades dos atuais e futuros operadores ferroviários.

EUAR - European Union Agency for Railways

Criada em 2004 pelo Regulamento (CE) nº 881/2004, esta agência da União Europeia tem por missão reforçar a Segurança e a Interoperabilidade dos caminhos-de-ferro europeus, fornecendo, à Comissão Europeia e aos Estados-Membros, um apoio técnico que potencie a constituição de um Espaço Ferroviário Europeu Integrado.

A EUAR tem como principais funções: o reforço da segurança e da interoperabilidade no sistema ferroviário, suportando-se numa estrutura de grupos de trabalho constituídos por técnicos contratados e com recurso a peritos técnicos, nomeados pelas organizações sectoriais que colaboram com a ERA, entre os quais se contam diversos colaboradores da IP.

CEDR - Conference of European Directors of Roads

O CEDR constitui uma plataforma que integra autoridades rodoviárias nacionais de 28 países europeus, tendo como intuito promover a cooperação e a implementação de melhorias no sistema rodoviário e respetivas infraestruturas, disponibilizando apoio e aconselhamento no processo decisório relativo ao transporte rodoviário. O CEDR tem como principais missões:

  • Contribuir para os futuros desenvolvimentos das redes e do tráfego rodoviário;

  • Promover uma rede internacional de contactos entre responsáveis europeus de estradas;

  • Potenciar um forte envolvimento na política comunitária aplicável ao transporte rodoviário;

  • Promover a implementação de boas práticas e dos resultados da investigação desenvolvida.

PIARC - Permanent International Association of Road Congresses

O PIARC foi fundado em 1909, tendo por objetivo a promoção da cooperação internacional no domínio da estrada e do transporte rodoviário. Contando, atualmente, com cerca de 120 membros de Governos nacionais, o PIARC integra também outros membros de natureza distinta: autoridades regionais, membros coletivos, bem como membros individuais e membros de honra.

A Associação tem como principais missões:

  • Constituir um fórum internacional para análise e discussão das diversas temáticas relacionadas com o transporte rodoviário;

  • Identificar, desenvolver e disseminar exemplos de boas práticas e permitir um melhor acesso à informação de cariz internacional;

  • Desenvolver e promover instrumentos eficientes que potenciem a tomada de decisão em matérias relativas ao modo rodoviário.

PRIME - Platform of Rail Infrastructure Managers in Europe

A Plataforma de Gestores de Infraestruturas Ferroviárias da Europa, que integra diversos Gestores de Infraestruturas e a DG-MOVE, foi criada sob proposta da Comissão Europeia, com o propósito de promover a cooperação em áreas-chave para o desenvolvimento de uma rede ferroviária europeia segura, sustentável, de alto desempenho e geradora de valor acrescentado. A IP foi uma das empresas aderentes desde o início à Plataforma.

O PRIME constitui a única plataforma que permite uma interação direta entre a Comissão Europeia e os gestores de infraestruturas ferroviárias, potenciando uma discussão atempada das iniciativas legislativas e uma cooperação mais estreita entre as companhias ferroviárias.

As companhias que integram o PRIME são convidadas a discutir os grandes desafios da gestão da infraestrutura ferroviária na Europa, designadamente: o financiamento das infraestruturas, a segurança ferroviária, a intermodalidade e co-modalidade, bem como a promoção da digitalização.

ERRAC - The European Rail Research Advisory Council

O ERRAC foi instituído em 2001 com o objetivo de constituir um único organismo europeu com a competência e a capacidade de contribuir para a revitalização do sector ferroviário na Europa, mediante a aposta na inovação e na coordenação dos esforços em matéria de investigação. O organismo integra representantes dos principais stakeholders ligados à investigação ferroviária na Europa, entre construtores, gestores de infraestruturas, operadores, universidades e associações de utentes. O ERRAC tem por missão:

  • Definir e implementar uma estratégia conjunta para a investigação e inovação no sector ferroviário.

  • Promover a colaboração entre os diversos stakeholders envolvidos no processo, nomeadamente através do lançamento de ambiciosos planos de cooperação em matéria de investigação.

  • Potenciar as sinergias entre a investigação e a inovação de cariz europeu, nacional e privado.

  • Coordenar os recursos financeiros, materiais e humanos afetos à investigação ferroviária.

ERTRAC - European Road Transport Research Advisory Council

O ERTRAC constitui a Plataforma Tecnológica Europeia para o Transporte Rodoviário, integrando, como membros, os principais stakeholders ligados ao sector rodoviário na Europa (Estados-Membros, Candidatos a adesão à União Europeia e Estados Associados): instituições comunitárias e organismos nacionais, entidades públicas e privadas envolvidas na investigação, associações e companhias, universidades, entre outros. O ERTRAC tem como principais missões:

  • Promover uma visão estratégica europeia para a investigação e inovação na rodovia.

  • Definir e atualizar a Agenda Estratégica de Investigação e apoiar no processo de implementação do programa comunitário “Horizonte 2020”.

  • Estimular o investimento público e privado na investigação e inovação aplicáveis à rodovia.

  • Promover a troca de experiência e de know-how, bem como a “clusterização” das capacidades europeias de investigação e inovação.

  • Contribuir para uma melhor coordenação entre entidades europeias, nacionais e regionais envolvidas no transporte rodoviário.

Shift2Rail

shift

O Shift2Rail constitui a primeira iniciativa europeia integrada com vista à promoção da Investigação, Desenvolvimento e Inovação, através da identificação de soluções orientadas para o mercado e incremento da integração de tecnologias que permitam a aplicação de soluções inovadoras para o setor ferroviário. A implementação do Shift2Rail representa um esforço sem precedentes dos stakeholders do sector ferroviário da Europa, com o intuito de:

  • Reforçar a atratividade do transporte ferroviário de passageiros e de mercadorias.

  • Alcançar os objetivos ambiciosos definidos no “Livro Branco sobre os Transportes - 2011”, publicado pela Comissão Europeia.

  • Incrementar a competitividade da indústria ferroviária europeia, face a uma crescente concorrência, a nível mundial.

  • Criar e manter empregos de alta qualidade na Europa.

EUROC - European Rail Operating Community Consortium

É o Consórcio Europeu de Gestores de Infraestruturas e Operadores Ferroviários promovido por dez companhias ferroviárias europeias, entre as quais a IP, o qual foi aceite, em dezembro de 2015, como Membro Associado da Shift2Rail Joint Undertaking (S2R JU).

A participação das diversas companhias ferroviárias neste consórcio permite integrar a referida S2R JU, conforme as condições definidas no diploma comunitário que a instituiu - Regulamento (UE) nº 642/2014 - possibilitando uma intervenção coordenada em todos os Programas de Inovação, minimizando o esforço financeiro necessário para tal.

A participação da IP, bem como da CP, no Consórcio EUROC e nos projetos de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (I&D&I), desenvolvidos no âmbito da S2R JU, permite a alavancagem das capacidades e competências nacionais existentes no Sistema Cientifico Nacional e nas empresas de base tecnológica ligadas à ferrovia, permitindo, assim, potenciar o desenvolvimento do conhecimento, bem como perspetivar o acesso a um mercado de soluções e produtos tecnológicos aí desenvolvidos.

UIC - Union Internationale des Chemins de Fer

Fundada em 1922, com o objetivo de criar condições uniformes para a atividade ferroviária, é a mais relevante organização mundial para a cooperação entre empresas de caminhos-de-ferro. Portugal foi um dos países fundadores da Associação.

O âmbito da sua atuação é abrangente, com forte concentração na vertente técnica, sendo dela beneficiários tanto os operadores públicos e privados, como os gestores de infraestruturas, empresas integradas e outras entidades ligadas ao sector ferroviário. Contando, atualmente, com cerca de 200 membros, a UIC debruça-se sobre as mais diversas temáticas relacionadas com a atividade ferroviária, da segurança à logística, passando pela sinalização e o transporte de passageiros e de mercadorias.

A UIC tem por principais missões:

  • Promover a cooperação entre empresas ferroviárias, no sentido de desenvolver o transporte ferroviário internacional.

  • Manter e desenvolver a coerência e a interoperabilidade do sistema ferroviário, com o objetivo de melhorar a sua competitividade.

  • Preparar posições comuns para a promoção do transporte ferroviário.

  • Difundir tecnologias e métodos avançados de gestão.

RNE - Rail Net Europe

Fundada em 2002, integra 35 gestores de infraestruturas ferroviárias e organismos responsáveis pela alocação de capacidade ferroviária de 26 países europeus. A RNE tem por missão estabelecer meios de cooperação internacional para a venda de canais-horários, a gestão da oferta de canais internacionais e a organização de um modelo de marketing da capacidade da infraestrutura ferroviária. Promovendo uma intervenção integrada em matéria de exploração ferroviária transfronteiriça, esta associação tem como principais objetivos:

  • Aumentar o tráfego ferroviário na rede europeia.

  • Proporcionar um acesso rápido e fácil à infraestrutura ferroviária europeia.

  • Melhorar a qualidade dos serviços prestados.

  • Melhorar a eficiência dos processos de estabelecimento de horários e da exploração.

Corredores Europeus de MercadoriasCorredor Atlântico

O Corredor Atlântico, originalmente denominado Corredor de Mercadorias nº 4, tem por objetivo promover o transporte ferroviário de mercadorias entre as redes de Portugal, Espanha, França e Alemanha. O corredor abrange, em concreto, os seguintes troços: Sines / Setúbal / Lisboa / Aveiro / Leixões - Algeciras / Madrid / Bilbao / Saragoça - Bordéus / La Rochelle / Nantes / Paris / Le Havre / Metz / Estrasburgo - Mannheim.

O Corredor Atlântico tem por missão rentabilizar a infraestrutura ferroviária existente, sem investimento adicional, através de uma gestão centralizada da atribuição de capacidade, da gestão de tráfego e do relacionamento com os clientes. Assume-se também como uma plataforma privilegiada para a coordenação dos investimentos na infraestrutura das quatro redes envolvidas, no sentido de se eliminarem barreiras técnicas e operacionais e promover a competitividade da ferrovia.

CEN - Comité Européen de Normalisation

CEN​​​​​​​

Organismo internacional, fundado em 1961, integrando as entidades nacionais de normalização de cada Estado-Membro da então Comunidade Económica Europeia (CEE) e da European Free Trade Association (EFTA). Para além dos Estados-Membros da UE, o CEN conta com a participação, como membros afiliados, dos organismos de normalização de Estados Candidatos à Adesão, de diversas repúblicas da antiga União Soviética, bem como de diversos países do Norte de África e do Médio Oriente.

O CEN é uma organização de carácter técnico e científico, independente e sem fins lucrativos, desenvolvendo a sua atividade em paralelo com o Comité Europeu de Normalização Electrotécnica (CENELEC) e a Organização Internacional de Normalização (ISO). O CEN tem como missão a elaboração de normas europeias de carácter técnico, cuja adesão é voluntária, processo este que é desenvolvido em sintonia com outros organismos de normalização, quer a nível europeu, quer a nível mundial.

CENELEC - Comité Européen de Normalisation Électrotechnique

O CENELEC foi criado em 1973, constituindo o organismo europeu responsável pela normalização na área da engenharia eletrotécnica. Desenvolvendo a sua atividade em paralelo com o CEN, este organismo assegura a preparação de normas voluntárias que contribuam para o incremento do mercado comum na área da eletrotecnia.

O CENELEC elabora normas de cariz europeu, mas também de âmbito internacional, mediante colaboração com a IEC - International Electrotechnical Commission.

A iniciativa dos projetos de elaboração de normas reside, essencialmente, na indústria, podendo partir também de pequenas e médias empresas, associações, cidadãos ou do legislador.

Este organismo integra, presentemente, 33 países europeus, que participam através das respetivas Comissões Nacionais de Eletrotecnia. Para além dos membros da UE e da EFTA, o CENELEC conta também com a participação, como membros afiliados, dos organismos de normalização de Estados Candidatos à Adesão, de diversas repúblicas da antiga União Soviética, bem como de diversos países do Norte de África e do Médio Oriente.

ISO - International Organization for Standardization

A ISO é um organismo internacional de cariz não-governamental, do qual fazem parte 161 entidades nacionais de normalização. Através das suas estruturas internas, a ISO potencia a partilha de conhecimento entre os seus membros e a elaboração de normas internacionais de carácter voluntário.

Desde a sua criação, em 1947, a ISO já publicou mais de 19 mil normas internacionais e documentação associada, cobrindo as mais diversas áreas de atividade, desde a tecnologia informática à segurança alimentar, passando pela indústria farmacêutica ou o sector dos transportes.

A ISO integra três tipos de membros:

  • Membros ativos: intervêm no processo de elaboração das normas e da Estratégia ISO.

  • Membros correspondentes: com estatuto de observadores, não intervêm na elaboração das normas e da Estratégia da organização.

  • Membros assinantes: asseguram apenas o acompanhamento dos trabalhos da ISO, não sendo envolvidos na sua atividade corrente.

CEEP - Centro Europeu de Empregadores e Empresas que prestam Serviços Públicos e Serviços de Interesse Geral

Carta Portuguesa para a DiversidadeAssociação Portuguesa para a Diversidade e Inclusão

O CEEP constitui uma associação europeia que representa empresas que prestam serviços de interesse geral, independentemente da sua propriedade ou estatuto. O CEEP é um dos três parceiros sociais interprofissionais gerais (BUSINESSEUROPE e CEEP como associações de empregadores e CES como sindicato) a nível europeu, reconhecido pela Comissão Europeia. Representa empregadores de serviços públicos e de serviços de interesse geral no Diálogo Social Europeu.

A associação e o seu Secretariado-Geral representam os interesses dos seus membros perante as instituições comunitárias. Através de contactos com as instituições europeias, como a Comissão Europeia, o Parlamento Europeu, o Comité Económico e Social e o Comité Europeu das Regiões, o CEEP é consultado sobre projetos de diplomas legais comunitários pertinentes para a atividade dos seus membros. A associação envia representantes e observadores a comités e órgãos consultivos das instituições europeias, podendo, assim, manter os seus membros atualizados sobre os desenvolvimentos mais recentes, a nível europeu, que sejam do seu interesse.

AEVV - Association Européenne des Voies Vertes

A AEVV foi constituída em 1998, na sequência dos Primeiros Encontros Europeus de Tráfego Lento e Vias Verdes. Esta associação, que atualmente integra cerca de 50 membros de 16 países europeus, tem como principal objetivo o de contribuir para a preservação de infraestruturas (tais como linhas ferroviárias desativadas, caminhos de serviço e itinerários culturais), com o intuito de estabelecer percursos de lazer não motorizados. Para além deste, a AEVV pretende também:

  • Impulsionar a utilização de meios de transporte amigos do ambiente;

  • Promover e coordenar o intercâmbio de informação e experiências. Colaborar com as autoridades europeias em matéria de desenvolvimento sustentável;

  • Contribuir para a promoção da defesa do meio ambiente, equilíbrio regional e a criação de emprego.

ETCR - European Training Centre for Railways

O ETCR organiza, anualmente, e desde 1963, um seminário de duas semanas, no Colégio da Europa, na cidade belga de Bruges, tendo como objetivo facultar, aos técnicos das empresas ferroviárias europeias, uma formação que lhes permita apreender e discutir, num contexto internacional, aspetos relevantes e atuais relacionados com o transporte ferroviário na Europa. O seminário em apreço debruça-se, entre outros assuntos, sobre:

  • A integração europeia num contexto histórico;

  • O transporte ferroviário no continente europeu

  • A Rede Transeuropeia de Transportes e os Corredores multimodais;

  • O ponto de vista dos outros modos de transporte e dos clientes do caminho-de-ferro.