Eficiência Energética e Energias Renováveis

Subtitulo 1
Programa SEE

A eficiência energética assume particular relevância atendendo ao nosso consumo energético significativo - na ordem dos 18 ktep/ano, excluindo energia de tração - em que a energia elétrica corresponde a 88% do total de consumo.

A IP desenvolveu um Programa de Sustentabilidade Energética – Programa SEE, que contempla um conjunto de processos para a melhoria do seu desempenho energético, com vista à redução do consumo e intensidade energética, bem como a racionalização dos custos com energia e das emissões de gases do efeito de estufa (GEE).

O Programa SEE compreende a execução de diversas ações que abrangem desde a realização de análises e diagnósticos aos consumos energéticos do Grupo IP, a realização de auditorias energéticas a instalações e/ou equipamentos, a Certificação Energética de Edifícios bem como a implementação de medidas de eficiência energética.

A Estratégia do Grupo IP para a eficiência energética assenta sobre vários eixos principais que traduzem uma visão, um conjunto focado de prioridades e um enunciado de medidas que permitem materializar as linhas de orientação instituídas.

Eixo 1

Eixo 1

Política Energética

Política de Gestão de Energia, a qual estabelece o compromisso do Grupo IP em alcançar a melhoria do desempenho energético.

Eixo 2

Eixo 2

Modelo Governance da Gestão Energia

Modelo Organizativo da Gestão de Energia no Grupo IP, o qual corresponde a um modelo organizativo funcional, não hierárquico, e de trabalho em rede. Este modelo ajusta-se a uma realidade que se pretende seja de construção de uma organização em crescimento no Grupo IP, no âmbito da gestão da energia, respondendo afirmativamente às exigências, internas e externas, e assegurando que os escassos recursos materiais e humanos são utilizados da forma mais eficaz e onde são mais precisos.

Eixo 3

Eixo 3

Plano Geral de Eficiência Energética

Plano Geral de Eficiência Energética do Grupo IP, o qual estabelece metas e prazos, para concretizar a redução de consumos energéticos, além dos consumos energéticos de referência.

Eixo 4

Eixo 4

Unidades de Consumo Energético

Unidades de Consumo Energético, instituídas face à natureza das atividades desenvolvidas na IP com o propósito de (i) organizar os consumos energéticos por grandes famílias, (ii) estabelecer a respetiva situação de partida de cada unidade e (iii) identificar medidas de poupança de energia que contribuam para uma utilização racional da energia, sinónimo de eficiência energética.

Eixo 5

Eixo 5

Sistema de Certificação Energética de Edifícios

Sistema de Certificação Energética de Edifícios, que permite aos seus utilizadores conhecer o desempenho energético dos mesmos. Simultaneamente, permitirá, em contexto de edifícios novos, criar mecanismos de verificação do cumprimento dos requisitos térmicos a que esses edifícios estão sujeitos e, em edifícios existentes, constituir-se como um elemento de promoção e de identificação de quais as medidas que podem conduzir a uma melhoria no desempenho energético e conforto dos seus utilizadores.

Eixo 6

Eixo 6

Sistemas de Auditorias Energéticas

Sistema de Auditorias Energéticas, processo sistemático através do qual se obtém um conhecimento adequado sobre as características de consumo energético de um edifício ou de um conjunto de edifícios, de frotas, de uma atividade ou de uma instalação industrial ou comercial, de serviços públicos ou privados.

Eixo 7

Eixo 7

Sistema de Gestão de Energia

Sistema de Gestão de Energia da IP, que tem como objetivo implementar as medidas necessárias para melhorar o seu desempenho energético, tendo como referência o normativo ISO 50001, que representa a mais recente e eficaz das práticas internacionais em matéria de Gestão de Energia.

Medidas de eficiência energética

O processo de diagnóstico e avaliação energética no Grupo IP permitiu identificar soluções de eficiência energética, nomeadamente ao nível do comportamento térmico em edifícios, da renovação e/ou modernização de sistemas técnicos instalados, da renovação de sistemas de iluminação, e da implementação de sistemas de produção de energia renovável.

Para a redução dos consumos energéticos na IP destacam-se as seguintes soluções tipo frequentemente adotadas, por tipologia de atuação:

Iluminação

Imagem 1

Substituição de iluminação existente por mais eficiente (T5 ou LED);

Instalação sensores de movimento para controlo de iluminação;

Instalação de sistemas de controlo de fluxo luminoso;

Inclusão nos sistemas existentes de relógios astronómicos que se ajustam à iluminação natural de cada época do ano.

 

Intervenções em Edifícios

Imagem 2

Substituição de caixilharia existente por caixilharia com corte térmico e grelhas de ventilação, com vidro duplo de baixa emissividade;

Colocação de películas protetoras solares nas componentes envidraçadas;

Colocação de blackouts interiores para melhoria de conforto térmico interior;

Colocação de palas de sombreamento nos vãos envidraçados orientados a sul;

Isolamento de coberturas e paredes pelo exterior (painéis sandwich, subtelha, roofmate, wallmate, etc.);

Substituição de caixilharia existente por caixilharia com corte térmico, com vidro duplo.

 

Elevadores, Escadas e Passadeiras Mecânicas

Imagem 3

Instalação de comandos eletrónicos e variadores de velocidade;

Instalação de "drives regenerativa" com devolução de energia à instalação ou à rede.

 

Sistemas de Climatização e Ventilação

Imagem 4

Substituição de sistemas de climatização individualizados por sistemas centralizados (chillers, VRV, bombas de calor, etc.).

Certificação energética de estações ferroviárias
A IP aderiu à rede europeia de estações Sudoe Stop CO2, já tendo nove estações aderentes:

Estação
Benfica

Estação
Oriente

Estação
Sintra

Estação
Rossio

Estação
Entrecampos

Estação
Aveiro

Estação
Espinho

Estação
Guimarães

Estação
Porto São Bento

Sudoe - Smart Finance

Esta adesão permite:

• Avaliar o desempenho energético das estações e comparar o seu posicionamento com as restantes congéneres europeias

• Identificar as melhores práticas de gestão e eficiência energética e de mobilidade tendo em vista a sua implementação na rede nacional para a melhoria da sua sustentabilidade

• Divulgar e sensibilizar os utentes das estações o desempenho obtido das instalações abrangidas por este projeto

Imagem Sef2

Energias renováveis
  • Painel Campolide

Na IP a produção de energia solar é efetuada essencialmente em estações ferroviárias, aproveitando a sua cobertura e exposição solar.  

Esta produção é comercializada à Rede Pública, sendo neste caso explorada por entidades terceiras em regime de aluguer dos espaços, ou destinada ao autoconsumo, em que a exploração recai 100% sobre a IP.

Atualmente já se encontram instalados vários parques fotovoltaicos em diversas estações ferroviárias, perfazendo uma potência instalada de 450 kW.

Alargaremos a curto prazo este modo de aproveitamento de energia solar, através da sua incorporação em coberturas de parques de estacionamento de edifícios (sistemas carport) e em associação com postos de carregamento elétricos, contribuindo para a descentralização das fontes de produção e fornecimento de energia.

 

Energia Renovável

Continuamos ainda a instalar nos nossos edifícios coletores solares térmicos para a produção de águas quentes (AQS).  

Estando conscientes do nosso elevado consumo energético pelo que num futuro próximo queremos ainda incorporar nos nossos contratos de fornecimento de eletricidade com os operadores do mercado, uma maior incorporação de energia renovável.