Responsabilidade Social

 

O Grupo IP assume o compromisso com os princípios da gestão sustentável. Desenvolve a sua atividade contribuindo para o progresso económico e social da comunidade onde está presente, tendo em conta o seu impacto no meio ambiente, e fomentando as relações estáveis com os seus principais stakeholders.

RSocial
Política de Responsabilidade Social

A Declaração de Política de Responsabilidade Social do Grupo IP, de 15 de julho de 2016, estabelece os objetivos e compromissos que regem a atuação sustentável da empresa na sociedade, tendo em conta o interesse público inerente à sua atividade.

O Grupo IP está vinculado à prossecução do desenvolvimento sustentável, à defesa da legalidade e das normas internacionais de conduta (NIPSO 26000 e Diretiva 2014/95/EU), da transparência e do rigor, bem como à promoção ativa da responsabilidade social, através do estímulo à participação cívica dos seus colaboradores, do bom ambiente de trabalho e da conciliação entre a vida pessoal e profissional.

No âmbito da Responsabilidade Social da empresa destaca-se também a Igualdade de Género, a Assinatura da Carta Portuguesa para a Diversidade e a adesão ao GRACE.

Mais informações:

Sustentabilidade – Responsabilidade Social

Diversidade e Inclusão

Carta Portuguesa para a Diversidade - Associação Portuguesa para a Diversidade e Inclusão

A 31 de março de 2016 a IP assina a Carta Portuguesa para a Diversidade. 

Portugal é um dos 16 países subscritores da Carta da Diversidade que assumiram oficialmente o compromisso de respeitar, valorizar e otimizar todo o potencial da diversidade das pessoas, seguindo as recomendações e esforços da Comissão Europeia. 

A Carta é uma ferramenta para todas as organizações empregadoras empenhadas em respeitar, valorizar e otimizar todo o potencial da diversidade das pessoas que consigo colaboram e de futuros colaboradores. É um importante passo rumo a organizações mais inclusivas, mais diversas, mais competitivas.

Carta Portuguesa para a Diversidade

Conciliação

Pacto para a Conciliação Programa “3 em Linha” - Sistema de Gestão da Conciliação

Em fevereiro de 2019 a IP assinou o Pacto para a Conciliação Programa “3 em Linha” - Sistema de Gestão da Conciliação.

A IP enquanto Empresa signatária do Pacto para a Conciliação, assume o compromisso de implementar e certificar um sistema de gestão com base na Norma portuguesa NP4552:2016 (Sistema de Gestão da Conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal).

O Sistema de Gestão da Conciliação tem como finalidade promover a melhoria da qualidade de vida dos/as colaboradores/as, permitindo sistematizar, validar e reconhecer procedimentos e práticas adotados neste domínio que favoreçam um maior equilíbrio entre as responsabilidades profissionais, o tempo em família e as atividades pessoais.

Política de Conciliação

Igualdade

Igualdade de género significa igualdade de direitos e de oportunidades, igual visibilidade, valorização, poder e participação, de mulheres e de homens, em todas as esferas da vida pública e privada. É uma matéria de cidadania e direitos humanos.

Nos últimos anos tem-se assistido a um incremento de políticas europeias e nacionais ligadas a questões de igualdade de género, levando a uma clara melhoria da inserção das mulheres no mercado de trabalho e a um novo olhar para as condições que permitem e facilitam a conjugação da atividade profissional com a vida familiar e pessoal.

Essas políticas decorrem, em boa parte, da adoção de planos nacionais para a igualdade, os quais se inscrevem, entre outras iniciativas da Comissão Europeia, na Estratégia Europeia para o Emprego, e que procuram colmatar desigualdades identificadas quanto à participação de homens e mulheres nos diferentes níveis sociais, em especial, no emprego.

Fórum IGEN

A IP pertence ao Fórum IGEN - Fórum Empresas para a Igualdade de Género desde 2014.

Este Fórum une empresas que, face aos desafios da competitividade, querem assumir uma cultura coletiva de responsabilidade social, incorporando nas suas estratégias de gestão os princípios de igualdade entre mulheres e homens num compromisso claro com a promoção da igualdade profissional e com o combate a todas as formas de discriminação de género no trabalho e no emprego.

Mobilidade Empresarial

MobilidadeOs Planos de Mobilidade Empresarial são instrumentos que pretendem apoiar as organizações na gestão mais eficiente da mobilidade induzida pela sua atividade, através do desenvolvimento e implementação de um conjunto integrado de medidas ajustadas às necessidades específicas de deslocação dos seus colaboradores.

Uma empresa, com a dimensão da IP e as caraterísticas de localização, em particular na área da grande Lisboa, onde tem um grande polo gerador e atractor de viagens (mais de 800 colaboradores), periférico à cidade, reúne as condições ideais para a elaboração de um Plano de Mobilidade Empresarial.

Neste contexto, a IP desenvolveu o MOB IP – Plano de Mobilidade Empresarial, cujo principal objetivo é conhecer as necessidades e os padrões de mobilidade dos seus colaboradores/as na sua cadeia de viagem diária casa-trabalho, servindo de suporte ao desenho de soluções que contribuam para uma mobilidade mais sustentável e, dessa forma, para a descarbonização da atividade da Empresa.

O MOB IP foca-se, para já, nas instalações da IP localizadas no Grande Porto, Coimbra e Grande Lisboa abrangendo cerca de 2000 colaboradores/as, ou seja, cerca de 60% do total de colaboradores/as da IP.

A metodologia seguida para o desenvolvimento deste Plano estruturou-se em três etapas principais:

  • Uma etapa inicial de Arranque, na qual se detalham os objetivos e o âmbito do MOB IP e se identificam as necessidades de participação das várias direções da empresa (Fase I);
  • A etapa de Diagnóstico (Fase II), que compreende a:
    • caraterização da mobilidade pendular atual dos colaboradores/as da IP, suportada nos resultados do inquérito à mobilidade realizado a todos os colaboradores/as abrangidos/as pelo MOB IP; e a
    • estimativa dos respetivos impactes ambientais (pegada carbónica e consumo energético) e económicos (custos diretos e externalidades); 
  • A etapa de Avaliação do Potencial de Sustentabilidade (Fase III), na qual se definem vários cenários de implementação de tipologias de intervenção associadas à alteração das necessidades de deslocação pendular e à adoção de opções modais de maior sustentabilidade, avaliando, por comparação com a situação atual, o seu potencial impacte ambiental e económico.

O MOB IP constitui-se, deste modo, como um importante instrumento de apoio à decisão da estratégia de mobilidade sustentável a seguir relativamente às opções de intervenção que se poderão afigurar mais adequadas a cada área geográfica da IP e aos seus polos mais relevantes.

Terceiro Conteudo