Construção da nova Variante a Arruda dos Vinhos

Geral
Investimentos
Rodovia
  • Variante Arruda dos Vinhos
  • Variante Arruda dos Vinhos
  • Presidente da IP - António Laranjo

Assinado o primeiro contrato no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, para a construção da Variante à EN248, com vista à melhoria das condições de mobilidade e de segurança rodoviária.

A Infraestruturas de Portugal (IP) assinou o contrato para a execução da obra de construção da Variante à EN248 em Arruda dos Vinhos, envolvendo um investimento de cerca de seis milhões de euros para a melhoria da mobilidade e reforço da segurança rodoviária, com incremento da qualidade ambiental e de vida das populações da região.
 
Esta primeira intervenção integra o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e é executado de acordo com plano de beneficiação das acessibilidades rodoviárias às zonas empresariais, aumentando a capacidade das empresas na entrada e saída de mercadorias, promovendo a ligação direta à rede rodoviária de alta prestação.

A atual rede viária - EN248, EN115-4 e Variante Industrial das Corredouras - tem um elevado volume de circulação automóvel, em particular no tráfego pesado de mercadorias. Nesta zona, a EN248 atravessa uma zona marcadamente urbana e residencial que convive com uma forte estrutura comercial e industrial. 
 
A construção da nova via alternativa tem como principais objetivos:

  • O aumento da segurança rodoviária em Arruda dos Vinhos, através da redução do tráfego rodoviário dentro da zona urbana;
  • O reforço da mobilidade, com a melhoria das acessibilidades à rede rodoviária (autoestradas) e ferroviária (Linha do Norte);
  • Benefícios ao nível ambiental e de qualidade de vida das populações, através da diminuição da exposição da população à poluição automóvel e a níveis incomodativos de ruído.

A futura Variante a Arruda dos Vinhos terá uma extensão de cerca de 2,3 quilómetros e integrará quatro novas rotundas ao longo do traçado, facilitadoras das acessibilidades e distribuição de tráfego à rede viária local. Também no âmbito deste projeto será construída uma nova Ponte sobre o Rio Grande da Pipa, com uma extensão de 300 metros.
 
O contrato agora assinado será, em conformidade com o estabelecido pelo Código dos Contratos Públicos, remetido para Tribunal de Contas a fim de ser validado e atribuído Visto Prévio, fase após a qual poderá a IP proceder à consignação da empreitada.


Plano de Recuperação e Resiliência


A assinatura deste contrato de empreitada, um dos primeiros no âmbito do PRR, constitui uma antecipação a um dos exigentes marcos definidos pelo Plano, o que confirma, de forma inequívoca, o empenho da Infraestruturas de Portugal na execução dos investimentos cuja responsabilidade lhe está confiada

Recorde-se também que a IP já assinou os contratos de financiamento com a Estrutura de Missão Recuperar Portugal, que englobam um valor de investimento de 394,8 milhões de euros.

Para além desta empreitada, a IP tem outras três empreitadas em contratação, no valor de 12M€, e mais duas em preparação, estando as restantes 19 intervenções em desenvolvimento das necessárias fases de projeto.
 
O PRR pretende reforçar a robustez social, económica e territorial e acelerar a dupla transição digital e climática.
 
A IP contribui de forma determinante na operacionalização da componente “Infraestruturas” em cumprimento do respetivo objetivo: reforçar a resiliência e a coesão territorial, aumentar a competitividade do tecido produtivo e contribuir para a redução dos custos de contexto.