“Queremos prestar o melhor serviço aos nossos clientes”

2021-03-29

Realizou-se hoje, 29 de março, o evento de lançamento do Ano Europeu do Transporte Ferroviário 2021, em formato digital, coorganizado pela Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia e a Comissão Europeia.

A iniciativa pretendeu debater os benefícios da ferrovia para as pessoas, a economia e o clima, e os desafios que subsistem à criação de um verdadeiro espaço ferroviário europeu único, sem fronteiras, promovendo o uso dos comboios como modo de transporte seguro e sustentável. 

Presentes no evento, entre outros, estiveram o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, a Comissária Europeia dos Transportes, Adina Vălean, a Comissária Europeia da Coesão e Reformas, Elisa Ferreira, e o Diretor da Área de Representação Internacional da Infraestruturas de Portugal (IP) e Chairman da UIC, Francisco Cardoso dos Reis.

Durante a sua intervenção, o responsável da IP destacou a necessidade de se “promover o uso de energias limpas ao eletrificar toda a rede, com o aumento da eficiência na gestão dessa mesma rede, reforçando a manutenção preditiva - uma medida que reduzirá custos e aumentará a qualidade do serviço – possibilitando à IP prestar um melhor serviço aos nossos clientes, a CP, a Fertagus e aos operadores de transporte de mercadorias”, disse. 

Francisco Cardoso dos Reis salientou, por isso, que o setor ferroviário “pode contar com a Infraestruturas de Portugal para o incremento da eficiência, da resiliência e da capacidade de ser, na sua atividade diária, mais inteligente nas decisões”, concluiu.

"Portugal tem realizado um forte investimento na modernização e construção de novas linhas em todo o país”

Na cerimónia de abertura da iniciativa que decorreu na sede da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, deu nota de que “a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia elegeu o caminho-de-ferro como centro da agenda política para os transportes”, salientando que, nos últimos anos, Portugal “tem realizado um forte investimento na modernização e construção de novas linhas em todo o país”, permitindo, assim, que agora se “tenha uma visão de médio e longo prazo” relativamente à rede ferroviária:

“Na próxima década iremos completar a modernização e eletrificação de toda a nossa rede, eliminar os estrangulamentos nas nossas áreas metropolitanas e construir uma nova linha de alta velocidade ligando as nossas duas principais cidades, Lisboa e Porto”, disse Pedro Nuno Santos.

O Ministro das Infraestruturas e da Habitação defende “um investimento público massivo” em linhas, material circulante e serviços. Só assim, sublinha, será possível “transferir uma parte significativa do transporte rodoviário e aéreo para a ferrovia”. O responsável afirmou que “apenas o setor público pode comprometer as grandes somas necessárias para que a sociedade recolha os benefícios ainda maiores”, fazendo notar que “tal progresso não será possível enquanto os níveis de investimento na Europa permanecerem deprimidos, como têm estado desde a crise económica de há uma década”. 

Por último, o Ministro lembrou "que todos os países da Europa têm intensificado investimentos nas redes ferroviárias em resposta à crise pandémica", considerando que o Ano Europeu do Transporte Ferroviário é uma oportunidade para olhar “de forma séria para o setor” e para  “abrir um debate que nos possa dar a todos mais opções no caminho a seguir, para que possamos todos juntos, políticos, fabricantes, indústria, passageiros, trabalhadores e, no final, cidadãos, escolher as melhores opções”. 

2021, um ano de muitas viagens

Ao longo de 2021, a Infraestruturas de Portugal vai participar em várias atividades concertadas, que vão posicionar o setor ferroviário em destaque, a fim de incentivar a utilização do transporte ferroviário pelos cidadãos e pelas empresas, destacando a sua importância para interligar as regiões, as pessoas e as empresas, para além do seu papel no turismo sustentável e nas relações da União Europeia (UE) com os países vizinhos.

A iniciativa da Comissão Europeia irá promover o transporte ferroviário enquanto meio de transporte sustentável, inteligente e seguro, a fim de incentivar a sua utilização pelos cidadãos e pelas empresas e de contribuir para a consecução do objetivo do Pacto Ecológico da UE de neutralidade climática até 2050.

Este ano coincide também com a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, o que resulta num maior envolvimento das empresas portuguesas do setor. 2021 conferirá um forte impulso no sentido de um espaço ferroviário europeu único: uma rede ferroviária europeia mais eficiente e uma mobilidade transfronteiras sem descontinuidades.

Notícias relacionadas:

Kick-off of the European Year of Rail 2021