Candidatura do P7 ao PNAM 2019

2019-07-30

A IP Património apresentou a candidatura do projeto “Ponte 25 de Abril – Experiência Pilar 7” ao PNAM 2019 - Prémio Nacional de Arquitetura em Madeira.
 
Este prémio, já na sua 5.ª edição, tem como objetivo incentivar e promover a fileira florestal portuguesa através da inovação, valorização, promoção e utilização da madeira e seus derivados em edificações.
 
Podem candidatar-se ao PNAM’19 obras com caráter permanente que evidenciem o uso da madeira como material relevante na Arquitetura, que tenham sido concluídas entre 1 de janeiro de 2017 e 31 de dezembro de 2018, e que sejam da autoria de membros em efetividade de direitos na Ordem dos Arquitetos.
 
 
P7
 
O projeto “Experiência Pilar 7” promove uma série de experiências físicas, sensoriais e intelectuais, associadas à visita de uma infraestrutura singular na cidade de Lisboa e na Europa - a Ponte 25 de Abril. Fazem parte desta infraestrutura, um conjunto de elementos construtivos em betão e aço - pilares, maciços, cabos de amarração, partes integrantes da estrutura técnica da Ponte que resultam em “peças” construídas de expressão formal, plástica e cénica únicas.
 
De acordo com o formulário de candidatura, “o conceito do projeto consiste na conciliação da vivência destas pré-existências, conjunto de ‘lugares técnicos’, com a implantação de construções pré-fabricadas e um elevador, onde é associada a comunicação do conhecimento histórico, técnico e cultural da Ponte 25 de Abril.
 
Na base do desenvolvimento conceptual, temos a repetição de um elemento vertical, em compósito de madeira ou alumínio, de cor cinza em contraste com a cor da estrutura metálica da ponte, em que o seu conjunto define uma textura, presente em todos os elementos a construir, estabelecendo-se assim uma coerência formal na presente intervenção.
 
A opção construtiva dos edifícios de apoio e da paliçada pela utilização da madeira e derivados, é consequência da assunção de contraposição com os elementos principais da Ponte, o betão dos maciços de amarração e o aço da treliça do tabuleiro. Essa rutura formal e construtiva é enfatizada pela textura e cor dos materiais, tais como, a estrutura dos edifícios em madeira de madeira de pinho lamelada, o tabuado de pinho maciço dos alçados norte e sul, a utilização de painéis de aglomerado de madeira tipo OSB em paredes e o uso de perfis em compósito de madeira na ‘paliçada’ da vedação e sombreamento dos vãos.”
 
A primeira edição do PNAM surgiu em 2011, inserido nas comemorações do Ano Internacional das Florestas, e foi organizado em parceria entre o Ministério da Agricultura através da AFN, Autoridade Florestal Nacional, a Ordem dos Arquitetos e o Centro Pinus. As edições seguintes passaram a ser organizadas pela AIMMP, a Ordem dos Arquitetos e a CPCI, Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário.
 
O projeto de arquitetura da Experiência Pilar 7 é da autoria de António Borges (IP/IP Património), com projetos de especialidades da A2P. A obra foi concebida para a ATL – Associação Turismo de Lisboa, e a empreitada realizada pela Ferrovial – Agroman.