IP Engenharia participa na 6ª Conferencia Portugal-China "`Belt & Road` e o Novo Ciclo das Relações Bilaterais"

2019-11-28

A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa organizou a sexta Conferência-Gala Portugal-China com o objetivo de sublinhar as excelentes relações bilaterais, intensificadas desde a assinatura em dezembro de 2018 do Memorando para a Cooperação entre os dois países no quadro da iniciativa “One Belt, One Road”, aquando da visita do Presidente Xi Jinping a Portugal.

A iniciativa contou com a presença do Ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, da Secretária de Estado dos Negócios Estrageiros e Cooperação, Teresa Ribeiro, dos Embaixadores da República Popular da China em Lisboa, Cai Run, e de Portugal em Pequim, José Augusto Duarte, assim como de vários empresários, instituições e associações.

O Grupo IP/ IP Engenharia, participou na mesa redonda subjacente ao tema “Investimento 2.0: A Belt & Road e a Fase das Infraestruturas”, tendo Amílcar Monteiro focado duas dimensões da iniciativa “One Belt, One Road”.

 

Em primeiro lugar, o potencial da cooperação entre as empresas portuguesas e chinesas no setor das infraestruturas, seja para atuar em Portugal, na Europa, ou ainda nos Países de Língua Portuguesa (PLP), retirando partido das vantagens competitivas de cada uma das partes, com enfoque no continente africano, onde ambos desempenham um papel relevante.

Neste particular foi dado o exemplo pioneiro da parceria que foi estabelecida entre o Grupo IP/IPE e a China Tiesiju Civil Engineering (CTCE) para o desenvolvimento de projectos de infraestruturas sustentáveis nos PLP, e que já resultou na Assistência Técnica que ambas as entidades estão a desenvolver para um Governo de um PLP, designadamente, para o Ministério dos Transportes e Comunicações de Moçambique, que decorre desde Novembro de 2018, e cujo trabalho tem sido enaltecido por parte das entidades Moçambicanas.

Em segundo lugar, a relevância das infraestruturas de transporte de Portugal, nomeadamente, no processo global de aproximação da China à Europa, quer pelo Ocidente quer pelo Leste, ressalvando a importância estratégica que o Porto e a Zona Logística de Sines podem desempenhar, proporcionando um acesso rápido aos mercados da Europa Central.

A conferência foi encerrada pelo Ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, que, começou por referir o bom momento que se vive nas relações económicas entre Portugal e a China, sublinhou a relevância da localização de Portugal como “cruzamento de várias rotas marítimas” e o papel que o novo terminal de Sines pode assumir neste contexto, afirmando ainda que uma «renovada Rota da Seda poderá ter Sines como ponto fulcral de ligação intercontinental, com ganhos claros» para Portugal e para a China.

Por outro lado, o Ministro referiu os investimentos que estão a ser efetuados na ferrovia, não só na renovação e construção de novas infraestruturas, mas também na renovação do material circulante, considerando esta vertente uma oportunidade para as empresas chinesas, referindo que o Governo está aberto «à criação de parcerias tecnológicas com empresas chinesas que operem neste sector, atraindo investimento, partilhando conhecimento e honrado os 40 anos de relações diplomáticas entre os nossos dois países».