Estações acolhem filmagens de Comboio Noturno para Lisboa

[[{"fid":"641","view_mode":"wysiwyg","fields":{"format":"wysiwyg","field_text_file_title[und][0][value]":"foto43","filename_field[pt-pt][0][value]":"foto43","field_file_image_alt_text[und][0][value]":"foto43","field_file_image_title_text[und][0][value]":"foto43"},"type":"media","link_text":null,"attributes":{"alt":"foto43","title":"foto43","class":"colorbox media-element file-wysiwyg"}}]]

 

Nos dias 29 de março e 2 de abril de 2012, as estações ferroviárias de Santa Apolónia, Rossio e Pêro Negro (Linha do Oeste) foram palco de filmagens da produção Comboio Noturno para Lisboa (“Night Train to Lisbon”), uma longa-metragem dirigida pelo dinamarquês Bille August que, após a rodagem no nosso país de A Casa dos Espíritos, baseado no romance homónimo da chilena Isabel Allende, na década de 1990, volta a escolher Portugal para cenário desta aventura cinematográfica, que tem o apoio da REFER.

Comboio Noturno para Lisboa é a adaptação do romance, com o mesmo nome, de Pascal Mercier, pseudónimo literário do filósofo Peter Bieri, um fenómeno editorial na Europa que vendeu dois milhões e meio de exemplares desde que foi publicado em 2004, na Alemanha, onde ficou três anos na tabela dos livros mais vendidos.

O filme conta a história de um professor suíço de línguas clássicas que, depois de encontrar uma mulher portuguesa, deixa o emprego e viaja até Lisboa na esperança de descobrir o destino de um certo autor, médico e poeta, que lutou contra o regime de Salazar.

O principal papel pertence ao ator inglês Jeremy Irons, que volta a Portugal 19 anos depois de ter estado no país para rodar A Casa dos Espíritos. Os atores Nicolau Breyner e Beatriz Batarda são alguns do portugueses que integram o elenco, que conta ainda com a representação de Mélanie Laurent (França), Jack Huston e Tom Courtenay (Reino Unido), August Diehl (Alemanha) e Bruno Ganz (Suíça), entre outros.

A rodagem do filme em Portugal teve início no dia 19 de março e prolonga-se até ao dia 15 de maio, estando a estreia prevista para o início do próximo ano com distribuição a nível mundial.

O investimento total ascende a oito milhões de euros (quatro milhões serão gastos no nosso país), numa coprodução entre Portugal, Alemanha e Suíça, em cuja capital decorreram, ao longo de quatro dias, as únicas filmagens da obra fora de Portugal.

O facto da capital portuguesa ser mencionada no título de uma grande produção cinematográfica assume particular importância turística e cultural para o país, bem como na mediatização e promoção internacional do destino Lisboa.