160 anos de comboios no Barreiro

2019-01-31

A Associação Barreiro Património Memória e Futuro (ABPMF) e a Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial (APAI) realizam no sábado, dia 2 de fevereiro, pelas 15h30, no Espaço L - antiga Estação do Lavradio, uma sessão comemorativa dos 160 Anos de Comboios no Barreiro, sob o tema “Complexo Ferroviário do Barreiro: a importância de uma história e património em processo de classificação nacional”, precedida por uma visita guiada à exposição sobre o caminho-de-ferro no Barreiro.

Serão oradores na conferência:

  • Hugo Pereira: “Os caminhos-de-ferro de Sul e Sueste e o relatório do engenheiro C. F. White (1868)”
  • Carla Marina (ABPMF): “A importância dos caminhos-de-ferro no Barreiro. O complexo ferroviário do Barreiro”
  • Ana de Sousa (CP / APAI): “A história dos caminhos-de-ferro do Sul”
  • Paula Azevedo (IP Património / APAI): “Património ferroviário. Algumas estações ao sul do Tejo e o edificado ferroviário do Barreiro”.

A sessão comemorativa visa divulgar a situação do Património Ferroviário na atualidade e a sua importância histórica, enquanto elemento aglutinador da identidade cultural do Barreiro, a influência que o caminho-de-ferro exerceu sobre a vida dos barreirenses e que deu origem a uma cultura ferroviária, bem como dar a conhecer um vasto e valioso conjunto de património edificado e circulante.

A conservação de parte significativa deste património de arqueologia industrial, em vias de classificação de âmbito nacional, como é o caso das atuais Oficinas, assim como a preservação de, pelo menos, parte do material circulante e outros equipamentos técnicos, são da maior importância até porque refletem quer um modo de trabalho, quer um modo de vida.

Em 1855 a Companhia Nacional dos Caminhos-de-Ferro ao Sul do Tejo adquiriu terrenos para implantação da rede ferroviária do Sul, cujo troço inicial Barreiro/Vendas Novas ficou concluído – e foi festivamente inaugurado pelo rei D. Pedro V e festejado pela população do Barreiro e arredores – a 2 de Fevereiro de 1859. Aberto à circulação comercial no dia 1 de Fevereiro de 1861, o caminho-de-ferro foi portador de inovação e transformações profundas, colocando o Barreiro como principal eixo de ligação entre o Norte e o Sul do País.