Mobilidade no Interior

2016-07-20

No dia 20 de julho decorreu na Estação ferroviária da Covilhã a apresentação do Plano de Mobilidade para o Interior. A Infraestruturas de Portugal vai proceder à intervenção no Corredor Internacional Norte.

Esta sessão contou com a participação do Ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, do Secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d’ Oliveira Martins, do Presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Vítor Manuel Pereira, e do Presidente da Associação Nacional dos Industriais dos Lanifícios, José Robalo da Fonseca. 

Estiveram ainda presentes, entre representantes de várias entidades e municípios, o Presidente da IP, António Ramalho e o Vice-Presidente, José Serrano Gordo.

 

Intervenção no Corredor Internacional Norte

Com o objetivo de reforçar a Ligação do Norte e Centro de Portugal e a Europa, e por forma a potenciar um transporte de mercadorias eficiente, no âmbito do Programa Ferrovia 2020, a Infraestruturas de Portugal vai proceder à modernização da Linha da Beira Alta e concluir a modernização da Linha da Beira Baixa, com a conclusão do troço Covilhã – Guarda.

O projeto do Corredor Internacional Norte envolve um investimento de 691 milhões de euros na modernização das Linhas da Beira Alta e da Beira Baixa.

O interesse estratégico deste projeto é reconhecido também a nível europeu, contando com forte apoio de fundos comunitários, tendo já sido aprovada, no passado dia 8 de julho, a comparticipação de 376 milhões de euros para a modernização da Linha da Beira Alta, estando previstas candidaturas num total de 473 milhões de euros a Fundos Comunitários.

 

Linha da Beira Alta 

No troço Pampilhosa – Vilar Formoso serão realizadas as seguintes intervenções:

  • Renovação da superestrutura ferroviária e travessa polivalente por forma a permitir a interoperabilidade do troço;
  • Alteração do Layout de Estações para permitir a circulação de comboios de mercadorias de 750 m de comprimento;
  • Estabilização e consolidação de taludes;
  • Estabilização e consolidação da plataforma ferroviária;
  • Melhoria dos órgãos de drenagem ao longo do troço;
  • Supressão de Passagens de Nível;
  • Adaptação e modernização da infraestrutura de catenária;
  • Implementação de novo sistema de sinalização e telecomunicações.

As obras no troço Pampilhosa-Guarda irão decorrer após a abertura da Linha da Beira Baixa, troço Covilhã - Guarda. Relativamente ao troço Guarda – Vilar Formoso, as obras decorrerão com a linha em exploração com inicio após a conclusão do projeto e do processo de contratação da empreitada.

O projeto de modernização da Linha da Beira Alta, troço Pampilhosa - Vilar Formoso terá uma comparticipação de Fundos Comunitários de cerca de 376 millhões de euros.

 

Linha da Beira Baixa

Para a intervenção na Linha da Beira Baixa, a Infraestruturas de Portugal está a desenvolver os projetos do troço que permitirão igualmente reabilitar seis pontes ferroviárias. Está também em estudo a construção da Concordância entre a Linha da Beira Alta e da Beira Baixa.



Troço Covilhã - Guarda

Encerrado à exploração ferroviária desde o início de 2009, o troço Covilhã - Guarda, com 42 quilómetros de extensão, está no momento em fase de estudos que estarão concluídos no final do presente ano. Posteriormente serão desenvolvidos os procedimentos legais para o lançamento das empreitadas que têm como objetivo modernizar, eletrificar e reativar este troço.

Plena via

Em plena via está prevista:

  • Renovação Integral de 32 km de Via (10 km já renovados);
  • Perfil tipo para eletrificação e Eletrificação a 2x25kv/50 Hz;
  • Drenagem e estabilização de taludes;
  • Remodelação de Apeadeiros;
  • Instalação de Sinalização Eletrónica, Telecomunicações, Convel, Telecomando, RCT+TP;
  • Tração elétrica simples de 960 t e comprimento máximo de 650 m;
  • Velocidade média 90 km/h.

O projeto de execução do troço Covilhã - Guarda encontra-se em fase de aprovação do Estudo Prévio.

Intervenção em Pontes Centenárias

Tendo como objectivo principal o aumento das velocidades de circulação, das condições de segurança da sua exploração e das cargas circulantes, a Infraestruturas de Portugal prevê a reabilitação de seis pontes metálicas existentes no troço, nomeadamente:

  • Ponte da Carpinteira
  • Ponte do Corge
  • Ponte do Zêzere II
  • Ponte de Maçainhas
  • Ponte dos Gogos
  • Ponte da Penha da Barroca

Concordância Linha da Beira Alta/Linha da Beira Baixa

A construção da Concordância entre a Linha da Beira Alta e a Linha da Beira Baixa, permitirá a criação de canais alternativos de tráfego internacional de mercadorias a partir das regiões da Grande Lisboa e Sul de Portugal, aumentando significativamente a capacidade de ligação à Fonteira de Vilar Formoso. A elaboração do projeto da Concordância encontra-se em fase de Estudo Prévio.