A Ponte e o Futuro

CENTRO INTERPRETATIVO E ELEVADOR PANORÂMICO DA PONTE 25 DE ABRIL


O 50.º aniversário da Ponte 25 de Abril marcou o arranque do Centro Interpretativo da Ponte 25 de Abril - Experiência Pilar 7, um projeto turístico e cultural que integra um miradouro panorâmico e uma experiência sensorial, física e intelectual no pilar de ponte em Alcântara.

O projeto foi apresentado a 9 de agosto de 2016, no pilar 7 da Ponte 25 de Abril, e contou com as intervenções do Ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, do Diretor-Geral da Associação Turismo de Lisboa, Vitor Costa, do Presidente da Infraestruturas de Portugal, Eng.º António Laranjo, e do Vice-Presidente da Infraestruturas de Portugal, José Serrano Gordo.

Centro Interpretativo da Ponte 25 de Abril - Experiência Pilar 7, inaugurado a 27 de setembro de 2017, permite a todos os visitantes uma descoberta única da Ponte 25 de Abril. A experiência culmina com a ascensão, através de um elevador, a um miradouro panorâmico, que está à altura do tabuleiro da ponte e que permie uma vista inédita e privilegiada sobre a cidade de Lisboa, em particular sobre a zona de Belém e o rio Tejo. Este projeto foi implementado no pilar 7 da Ponte 25 de Abril, junto à Avenida da Índia, em Alcântara.

No exterior a sinalética permite ao visitante descobrir um pouco da história do projeto em grandes discos de informação que marcarão presença no chão. Também no piso 0, haverá uma receção ao visitante, loja, espaço de visita virtual e photobooth.

O edifício de controlo de entradas encontra-se dotado com equipamentos de segurança e dará acesso ao maciço central, onde o visitante terá oportunidade de ‘viajar’ ao longo de 300 mil m3 de betão – fará a ligação a uma nova realidade nunca antes vista: a sala dos trabalhadores. Aqui, existirão projeções 360.º sobre a construção da Ponte e será projetada uma maquete suspensa da Ponte 25 de Abril envolta num ambiente luminoso de água. Será nesta sala que se fará o acesso ao elevador que levará os visitantes às salas superiores do maciço, nomeadamente à sala de amarração dos cabos de suspensão da ponte e a uma outra sala com o chão e teto em espelhos, onde é criada a sensação de vertigem da escalada vertical da Ponte 25 de Abril.

Por fim, o visitante chegará ao miradouro com vista panorâmica, um dos elementos de atração principal do projeto onde, à semelhança de outras estruturas mundialmente conhecidas, como a Golden Gate Bridge, na Califórnia, Harbour Bridge, em Sydney, ou a Tower Bridge, em Londres, se terá uma das mais fantásticas experiências do Centro Interpretativo da Ponte 25 de Abril - Experiência Pilar 7.

Este projeto é o resultado de uma parceria entre a Infraestruturas de Portugal, a Câmara Municipal de Lisboa, a Associação Turismo de Lisboa e a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa.

A gestão do equipamento ficará a cargo da Associação Turismo de Lisboa, e conta com um investimento de 4,3 milhões de euros.

Prevê-se que as obras estejam concluídas em 2017 permitindo a todos experienciar novas sensações neste elemento icónico e estrutural da cidade de Lisboa, a Ponte 25 de Abril.

Conheça aqui o futuro Centro Interpretativo da Ponte 25 de Abril - Experiência Pilar 7.

Mais informação

 

A Ponte 25 de Abril

Inaugurada a 6 de agosto de 1966, a Ponte 25 de Abril assinalou um novo marco da engenharia em Portugal, concretizando a união das margens norte e sul do Tejo entre Lisboa e Almada.

O desígnio de uma Ponte sobre o Tejo, em Lisboa, remonta a 1870, com o primeiro projeto do Engenheiro Miguel Pais, que preconizava uma ponte rodoferroviária para ligar a zona oriental de Lisboa ao Montijo. Em quase um século, muitas ideias surgiram, mas o sonho não se cumpriu.

Os anos de 1950 foram decisivos no que respeita aos estudos sobre a travessia, tendo culminado com a criação do Gabinete da Ponte sobre o Tejo e com o lançamento do Concurso Público Internacional, na localização atual.

Á data da sua inauguração, a ponte era a maior estrutura metálica suspensa da Europa e a quinta maior a nível mundial.

A sua construção brigou à escavação de 6,6 milhões de m3 de solos e rocha, consumiu 300 000 m3 de betão e 82 000 toneladas de peças de aço.

A Ponte 25 de Abril possui uma das treliças mais longas do mundo, com ambas as torres principais a elevarem-se a cerca de 190 metros acima do nível da água e com uma altura livre de navegação de 70 metros, que assegura o acesso ao porto de Lisboa pelos navios de grande porte. A Norte, localiza-se o viaduto de acesso em betão com um comprimento de 945m, medindo em conjunto com a ponte, aproximadamente 3.255m.

Cinco décadas depois, continua a ser um elemento fundamental do sistema de transportes do país, utilizada diariamente por cerca de 300 mil utentes, por rodovia e ferrovia.